Retornando ao mercado de trabalho

Em alguns momentos da vida passamos por situações em que se faz necessário o afastamento do trabalho, que pode ter vários motivos: uma demissão, licença médica, curso de qualificação. Mas qual seria o tempo ideal para voltar ao mercado? Consultores de RH afirmam que não há um prazo limite para ficar fora do mercado, e que, atualmente, a recolocação gira em torno de três a oito meses, dependendo da área do profissional. Destacam ainda que quem ficou afastado, independentemente de qual tenha sido o motivo, certamente não perdeu suas habilidades, conhecimentos e, principalmente, a vontade de trabalhar.

Imagem: Reprodução

Analisando o atual cenário econômico do país, o profissional bem preparado não tem encontrado muitas dificuldades na hora de reingressar no mercado, que se encontra aquecido. Por outro lado, quem fica muito tempo afastado e que não busca minimamente estar atualizado e informado sobre o mercado em geral, sua área de atuação e tendências, encontrará dificuldades para voltar. O profissional com este perfil vai precisar entender novamente o mercado e, principalmente, conhecer profundamente o momento em que se encontra para então encarar os desafios. É possível que sua experiência de tecnologia de alguns anos atrás, por exemplo, não seja mais corrente. Se este for o caso, é preciso reciclá-la e torná-la corrente.

Para quem está em busca de uma recolocação, é importante estar atento aos contatos e investir num bom networking. É através de uma boa rede de relacionamentos que o profissional mantém-se visível no meio corporativo. A dica, aliás, não é apenas para quem está em busca de trabalho, mas é essencial que até mesmo os que estão colocados façam contatos, participem de eventos corporativos e encontros em sua área de atuação. Para manter a alta empregabilidade no mercado é fundamental cuidar da carreira, cultivar novas relações e, principalmente, se manter atualizado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Be Sociable, Share!

One thought on “Retornando ao mercado de trabalho

Deixe uma resposta