Benefícios inusitados concedidos no mundo

Os benefícios trabalhistas são uma boa forma de conhecer a cultura de um país. As práticas empregadas pelas empresas nessa área foram alvo da pesquisa Worldwide Benefit & Employment Guidelines. Os trabalhadores ao redor do mundo estão recebendo muito além dos tradicionais seguros saúde e planos de aposentadoria. Confira, abaixo, uma seleção de alguns benefícios inusitados de vários países:

Imagem: Internet

Reino Unido – Está se tornando habitual as empresas britânicas liberarem seus funcionários para eles passarem por procedimentos de beleza. Embora entrem nessa categoria coisas tão distintas quanto uma ida ao cabeleireiro ou um preenchimento, esse período foi apelidado de “Botox Leave”, numa tradução livre “Licença Botox”.

França – Funcionários com no mínimo dois anos de empresa ganham o direito de tirar um ano de licença não remunerada para começar seu próprio negócio. Ao final do período, o profissional pode voltar para seu cargo anterior ou para uma posição semelhante recebendo o mesmo salário

Nigéria – Benefícios com o objetivo de melhorar a qualidade de vida são comuns na África. Na Nigéria, alguns funcionários ganham geradores de eletricidade para suas casas, com os custos de manutenção cobertos pela empresa

Grécia – Todas as viúvas ou pais solteiros que tenham um filho com menos de 12 anos têm o direito de tirar seis folgas remuneradas ao ano. Para quem têm três ou mais crianças, o número sobe para oito dias

Portugal – Na terrinha, os profissionais podem se ausentar por 15 dias consecutivos sem desconto no salário para se casar. Quem precisa cuidar de algum parente doente tem também 15 dias de folga remunerados. Se o doente for filho ou neto do funcionário, o número sobe para até 30 dias

Austrália – É comum empregados com bastante tempo de casa ganharem uma licença do trabalho como prêmio pela lealdade. Geralmente, o benefício é de 13 semanas a cada 15 anos de serviço. Ou seja, os funcionários podem ganhar um mês a cada cinco anos trabalhados

Hungria – Uma espécie de cartão pré-pago dado aos funcionários, batizado de MKB SZÉP, está se tornando comum no país. O dinheiro de plástico pode ser usado na Hungria para cobrir custos com hotéis, comida e algumas atividades de lazer. O valor chega a R$ 2,6 mil por ano, antes da mordida do Leão

Suécia – Funcionários normalmente têm direito a faltar no trabalho sem desconto para o aniversário de 50 anos e para ir ao médico.

Fonte: Finanças de Bolso

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Be Sociable, Share!

Deixe uma resposta