A força do engajamento nas equipes

A produtividade de uma equipe está diretamente ligada à motivação de seus membros. Mas como entender esta força que alavanca as metas individuais dos profissionais, impactando no resultado geral do time?

O engajamento é o envolvimento voluntário do profissional em um projeto. É uma forma moderna e profissional de dizer que ele “vestiu a camisa da empresa”, como se diz popularmente. Para uma consultoria internacional, que realiza pesquisas anuais sobre o tema com mais de 5 milhões de funcionários de empresas de diversos setores em todo o mundo, engajamento não é felicidade ou satisfação, é algo muito mais profundo: engajamento é o “índice de investimento psicológico de um funcionário em sua organização”.

A última pesquisa realizada pela empresa mostrou que, em 2016, houve uma queda no engajamento de funcionários, em relação ao ano anterior. Em 2015, a média global de engajamento era de 65% de colaboradores, mas, no ano seguinte, esse índice caiu para 63%. Desde que a pesquisa começou a ser realizada, em 2011, a média é de 61%. Para determinar o nível de engajamento dos entrevistados, foram utilizados três critérios: perguntar aos funcionários se eles falam aspectos positivos sobre a organização e se atuam como seus promotores; se pretendem permanecer na organização por um longo período; e se estão motivados a empenhar-se e para oferecer seus melhores esforços, ajudando a empresa a alcançar seus objetivos. A partir disso, tem-se um cenário bastante real do quanto os profissionais podem ou não estar envolvidos com as empresas e, consequentemente, com suas atribuições, que interferem diretamente nos projetos e resultados.

Para exercer sua liderança, passe sua visão, explicando a importância de um projeto e como o esforço somado de todos irá garantir o sucesso final. Outro ponto essencial é definir a contribuição de cada colaborador, de forma alinhada com suas capacidades. É preciso também estabelecer o ponto ideal de envolvimento, deixando a equipe com uma autonomia “controlada”, na medida certa para cada um desempenhar sua função com segurança.

A habilidade de cultivar as características positivas de cada membro da equipe através do realinhamento de funções, criando oportunidades para obter o máximo da contribuição de cada um resulta no engajamento quase autônomo da equipe, contribui com o clima organizacional e prepara a equipe para lidar com a pressão e imprevistos, uma vez que estão satisfeitos com sua própria performance. Todo este cuidado resultará em um time mais independente e comprometido, conectado emocionalmente com o resultado coletivo, e não apenas individual.

,

______________________________________________________________________________________

MSA RH aborda no blog assuntos de interesse do mercado de trabalho e procura divulgar informações relevantes para os leitores, englobando temas do ambiente corporativo, como carreira, negócios e recursos humanos. É importante frisar que todos os dados e pesquisas apresentados neste espaço são de responsabilidade de fontes confiáveis, como institutos de pesquisa e veículos de comunicação de reconhecimento nacional e internacional.

O objetivo é, portanto, traçar um panorama imparcial sobre o universo profissional e gerar discussões sobre temas atuais e essenciais não só a quem vivencia o meio de RH, como a todos os profissionais brasileiros. Seja bem-vindo e contribua sempre com seus comentários, opiniões e sugestões!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Be Sociable, Share!

Deixe uma resposta