Ousadias que as empresas gostam ou repudiam

Um perfil ousado pode fazer toda a diferença na carreira. A característica é valorizada por gestores e, esses profissionais, por pensarem “fora da caixa” geralmente têm mais chances de chegar ao topo. No entanto, há que saber o limite da ousadia. Caso contrário, também é possível colocar a desejada ascensão profissional a perder, de acordo com especialistas, que afirmam que ousadia é ruim quando passa dos limites aceitáveis. Pensando nisso, a Exame decidiu investigar quais as atitudes ousadas mais valorizadas pelas empresas e quais comportamentos passam dos limites e podem trazer problemas para os profissionais.

A ousadia que as empresas querem:

Perfil questionador – Indagar ou contestar por que processos e procedimentos são feitos de determinada maneira demanda a coragem que só uma pessoa ousada costuma ter. Quando se pergunta por que uma coisa é feita de um jeito, é comum profissionais responderem que não sabem a razão, mas que sempre foi assim. Um profissional de perfil ousado não se contentaria com a frase “sempre foi assim”, de acordo com os especialistas.

Facilidade para expor novas ideias – Dizer o que pensa e trazer novas ideias com o objetivo de obter melhores resultados definitivamente não é um problema para os ousados. Essa ousadia de falar e propor é muito importante por pode trazer inovação para as empresas. São pessoas que trazem novos olhares para dentro do escritório, que têm uma postura proativa e tentam sempre olhar por outro ângulo.

Disposição para enfrentar riscos – Críticas, barreiras e muita resistência não abatem as pessoas dentro deste perfil, que enfrentam pesadas críticas durante o caminho até a concretização de extraordinários objetivos e projetos. No entanto, cientes de sua capacidade e desejo, não se deixam abater e seguem suas jornadas, enquanto os demais a abandonam. Os profissionais ousados estão dispostos a tomar o risco, aceitar erros e se deparar com a resistência das outras pessoas. Mesmo tendo medo de errar, são pessoas que vão tentar fazer dar certo, são destemidos neste sentido.

Não resistir a mudanças – Por serem, grande parte das vezes, os agentes da novidade e inovação, as pessoas de perfil mais ousado não resistem às mudanças propostas pelas empresas em processos e procedimentos. As empresas precisam estar preparadas para a mudança e pessoas ousadas na equipe vão ajudar na implementação destas mudanças.

A ousadia que as empresas não querem

Tomar decisões fora da sua alçada – Por serem ousados demais, alguns profissionais não se dão conta de que devem respeitar o fluxo de decisão da empresa. Um dos comportamentos que revelam que a ousadia pode ter passado do ponto é resolver assuntos que fogem ao seu escopo de atuação, o que gera um grande risco para a empresa.

Desrespeito à hierarquia – Não reconhecer a hierarquia e, portanto não respeitá-la, também é um problema que surge quando profissional passa do ponto no que diz respeito à ousadia. Ele pode passar a ser visto como um profissional que causa problemas.

Não calcular riscos – Se o risco não é bem calculado, o profissional passa a imagem de irresponsável. Ou seja, a disposição para se arriscar, que é uma atitude ousada valorizada pelas empresas pode se virar contra o profissional a partir do momento que ele é displicente na hora de calcular os riscos.

Rebeldia contra as regras – Questionar, querer entender a razão por que procedimentos são realizados de uma forma e não de outra também é um ponto a favor dos profissionais. Mas quando o perfil questionador descamba para a rebeldia o sinal de alerta se acende. Você pode e deve tentar melhorar processos. Entretanto, é necessário percorrer um caminho até a mudança e, enquanto isso não ocorre, as regras em vigor devem ser respeitadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Be Sociable, Share!

Deixe uma resposta