O trabalho de 9h às 17h está acabando

Talvez a sua ideia de jornada de trabalho não se resuma mais àquele horário de 9h às 17h. E uma pesquisa da CareerBuilder comprova que é isso mesmo: o horário de trabalho tradicional, da forma que você conhece de longa data, está mesmo com os dias contados.

Os pesquisadores consultaram, nos Estados Unidos, mil funcionários em tempo integral, de setores como TI, Vendas e Serviços, sobre seus horários e padrões de trabalho. Bem mais do que a metade, 63%, disseram que a ideia de uma jornada de 9h às 17h é um conceito ultrapassado. Metade destes trabalhadores costuma responder e-mails fora do expediente, e 38% acabam trabalhando, de forma geral, fora do horário tradicional. Além disso, cerca de 24% dos consultados checam os e-mails profissionais enquanto estão com a família e os amigos.

controle-de-ponto

Estes resultados não causam choque algum e comprovam a realidade de que encontrar o justo equilíbrio entre trabalho e vida pessoal está cada vez mais difícil. As pessoas estão sempre ligadas aos seus smartphones, tendência que sempre gera muitas críticas e movimentos contra. Basta ver quantas políticas empresariais são criadas para incentivar seus funcionários a se desconectarem, e notar uma profusão de estudos sobre os malefícios da conectividade contínua. O fim do expediente tradicional é, portanto, visto por muitos como um sinal de vício em conexão.

Mas nem todo mundo enxerga o fim do horário de 9h às 17h como um sinal de trabalho em excesso e, consequentemente, uma desvantagem. Alguns especialistas apontam pontos positivos nesta nova forma de trabalhar, como a flexibilidade, tanto de horário quanto de espaço físico, e a concretização de uma nova cultura em que tudo é mais rápido e em que é possível fracionar as horas de trabalho.

Embora as pesquisas mostrem que voltar a atenção de seus entes queridos para seu smartphone seja definitivamente prejudicial aos relacionamentos, há também os que acreditam que a flexibilidade de trabalhar via dispositivos móveis permitiu que as pessoas possam estar mais presentes e sejam, por exemplo, pais mais engajados de uma forma geral.

E você, acredita que o fim do expediente tradicional tem mais vantagens ou desvantagens?

,

______________________________________________________________________________________

MSA RH aborda no blog assuntos de interesse do mercado de trabalho e procura divulgar informações relevantes para os leitores, englobando temas do ambiente corporativo, como carreira, negócios e recursos humanos. É importante frisar que todos os dados e pesquisas apresentados neste espaço são de responsabilidade de fontes confiáveis, como institutos de pesquisa e veículos de comunicação de reconhecimento nacional e internacional.

O objetivo é, portanto, traçar um panorama imparcial sobre o universo profissional e gerar discussões sobre temas atuais e essenciais não só a quem vivencia o meio de RH, como a todos os profissionais brasileiros. Seja bem-vindo e contribua sempre com seus comentários, opiniões e sugestões!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Be Sociable, Share!

4 thoughts on “O trabalho de 9h às 17h está acabando

  1. Vejo como mais uma opção, mais um estilo de vida a ser digerido e adaptado dentro do esperado pela manutenção da produtividade, sendo então mais um novo hábito, que possa ser mesclado ao estilo tradicional ou até substituí-lo por completo. Apenas com algumas restrições em alguns setores, quanto a natureza do trabalho (tipo da atividade).

  2. Muito me surpreende o horário citado das 9:00 às 17:00. Em 31 anos como profissional de engenharia nunca ouvi falar e nem passei por alguma empresa que adotasse este horário. Creio que o artigo deve ter sido direcionado a algum segmento bastante específico (e bastante leve em termos de volume de trabalho), porém não se aplicando a 99% dos demais segmentos no Brasil. Quanto ao trabalho fora do horário de expediente, infelizmente já virou rotina. Para alguns por real necessidade. Para outros, apenas para seguir os demais (enquanto o chefe sair o colaborador não sai). Mas o absurdo maior são aqueles que no convívio familiar ficam recebendo e enviando e-mails profissionais. Estas pessoas, em sua grande maioria não sabem separar as duas situações e, o que é pior, qualquer problema em casa o impacto no trabalho será muito maior, pois este colaborador “leva” o problema para o trabalho, e ainda compartilhando com os demais. Resultado final: acaba com sérios problemas de saúde tais como depressão, falta de sono, etc. Este tipo merece um controle da empresa, pois no final a empresa será prejudicada.

  3. Já faz muito tempo que o horário de trabalho para as profissionais que não estão direto na produção não segue o modelo tradicional. Este processo iniciou-se quando as empresas resolveram disponibilizar notebooks e celulares aos seus profissionais. O profissional chega em casa e dá uma verificado nos e-mails e responde, independente da hora e dia. Agora precisamos dar um passo, o profissional ser contratado por processo e trabalho, ou seja você recebe uma demanda, participa da negociação do prazo de entrega e o faz no melhor horário que você achar, desde que seja entregue dentro do prazo e conforme a solicitação. O profissional trabalharia na sua casa, e teria reuniões periódicas em espaços que poderiam ser locados para este fim.

Deixe uma resposta