O Linkedin pode acabar com a indústria de R & S?

Muita gente acredita que não, como mostra um artigo da ERE Recruiting Conference & Expo, que acontecerá em breve na Califórnia. Para estas pessoas, o Linkedin é uma rede profissional poderosa, que congrega diversos perfis de candidatos e empresas, mas não pode substituir o trabalho de um recrutador profissional. A rede Linkedin pode ser parte do processo, mas não o substitui por completo. Sua função é principalmente no sentido de auxiliar a busca por candidatos, serve como uma ferramenta, mas o contato, a entrevista, o entendimento dos objetivos do candidato com a cultura da empresa só pode ser feita por profissionais capacitados.

Elaine Saad, vice-presidente da ABRH-Nacional, em entrevista exclusiva ao Blog da MSA, também demonstrou esta opinião. Para ela, as redes sociais têm se mostrado uma ferramenta importante pra quem trabalha com Recursos Humanos, mas não elimina o processo tradicional.

Analisando um pouco mais, o Linkedin serve como filtro para selecionar boas empresas recrutadoras no mercado. Se a empresa tinha como diferencial apenas uma base de dados robusta para encontrar candidatos para vagas em aberto nos clientes, provavelmente o Linkedin, que presta esse serviço até mesmo de graça, vai acabar por retirá-la do mercado. Isso faz com que as empresas de RH tenham que evoluir e buscar outras formas de diferenciação: a qualidade do trabalho e bom resultado na indicação de candidatos adequados. Para tal, somente tendo contato com os candidatos. Assim, também há espaço para as recrutadoras de nicho e áreas especializadas. Especialização também pode garantir um melhor serviço que o concorrente, garantindo a sobrevivência da empresa.
.
Da parte do candidato, o Linkedin também facilita bastante a procura por empresas que o agradem. Mas, as pessoas também certamente não abrem mão de um contato face a face e conversas, entrevistas, antes de aceitar um emprego. A decisão de carreira é muito impactante para as pessoas e muitos especialistas não acreditam ainda que esse processo será feito totalmente de modo virtual, como hoje já são feitas compras de roupas, acessórios e até mesmo viagens e reservas de vôos e hotéis. A carreira não é tão simples assim e tem grandes consequências na vida de alguém. Por causa disso, vida longa às competentes empresas de recrutamento e seleção. Bom para os candidatos, bom para o Linkedin, bom para as empresas, uma situação em que todos saem ganhando.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Be Sociable, Share!

One thought on “O Linkedin pode acabar com a indústria de R & S?

Deixe uma resposta