Inclusão no mercado de trabalho

É possível perceber muitos progressos que a comunidade LGBT tem conquistado na sociedade atual, como a legalização do casamento gay. Mas, além de faltar um longo caminho para a comunidade de lésbicas, gays, bissexuais ou transgêneros conquistar a igualdade, no mercado de trabalho o assunto também é delicado. Segundo um estudo comandado por uma organização americana, a maior parte dos profissionais que se identificam como pertencentes a estes grupos não fala abertamente sobre sua orientação sexual ou identidade de gênero no ambiente de trabalho.

A pesquisa falou com mais de 12 mil funcionários de empresas multinacionais de países com diferentes níveis de apoio a pessoas LGBT, incluindo o Brasil. Mesmo nos lugares onde as leis foram consideradas mais positivas, o mundo corporativo parece não ser um ambiente muito inclusivo. No nosso país, 61% dos funcionários LGBT dizem estar “no armário” em suas vidas profissionais. Mesmo entre os que não escondem sua orientação no âmbito pessoal, 49% dizem não falar abertamente sobre o assunto no trabalho e alterar o próprio comportamento para se integrar melhor ao ambiente. Este comportamento é prejudicial para os profissionais.

mercado-inclusão-lgbt2

Globalmente, mais de um terço dos que não falam abertamente sobre a própria sexualidade dizem que isso prejudica o relacionamento com colegas de trabalho, e 32% sentem que sacrificam sua autenticidade pessoal no emprego. Segundo os autores da pesquisa, profissionais LGBT que trabalham em empresas que consegue protegê-los de discriminação são mais engajados. E pensando em um ambiente mais inclusivo e que ofereça oportunidades iguais a todos, o Instituto Ethos criou, em 2013, o Fórum de Empresas e Direitos LGBT.

A organização brasileira tem o objetivo de ajudar as empresas a gerir seus negócios de forma socialmente responsável, e liderou a criação de uma carta em que mais 80 empresas que atuam no Brasil assumem os dez compromissos para fortalecer ou criar ações ligadas à promoção dos direitos LGBT. São eles:

1. Comprometer-se, presidência e executivos, com o respeito e com a promoção dos direitos LGBT;
2. Promover igualdade de oportunidades e tratamento justo às pessoas LGBT;
3. Promover ambiente respeitoso, seguro e saudável para as pessoas LGBT;
4. Sensibilizar e educar para o respeito aos direitos LGBT;
5. Estimular e apoiar a criação de grupos de afinidade LGBT;
6. Promover o respeito aos direitos LGBT na comunicação e marketing;
7. Promover o respeito aos direitos LGBT no planejamento de produtos, serviços e atendimento aos clientes;
8. Promover ações de desenvolvimento profissional de pessoas do segmento LGBT;
9. Promover o desenvolvimento econômico e social das pessoas LGBT na cadeia de valor;
10. Promover e apoiar ações em prol dos direitos LGBT na comunidade.

Você acha que o meio empresarial está no caminho para um mercado de trabalho mais inclusivo?

.

______________________________________________________________________________________

MSA RH aborda no blog assuntos de interesse do mercado de trabalho e procura divulgar informações relevantes para os leitores, englobando temas do ambiente corporativo, como carreira, negócios e recursos humanos. É importante frisar que todos os dados e pesquisas apresentados neste espaço são de responsabilidade de fontes confiáveis, como institutos de pesquisa e veículos de comunicação de reconhecimento nacional e internacional.

O objetivo é, portanto, traçar um panorama imparcial sobre o universo profissional e gerar discussões sobre temas atuais e essenciais não só a quem vivencia o meio de RH, como a todos os profissionais brasileiros. Seja bem-vindo e contribua sempre com seus comentários, opiniões e sugestões!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Be Sociable, Share!

Deixe uma resposta