Conversando sobre Carreira – edição 1

Entendendo o momento atual de mercado e as dúvidas existentes sobre Carreira, o Blog da MSA abriu um espaço para debater e responder a questionamentos dos leitores sobre decisões e posturas junto ao mercado de trabalho. Saiba mais aqui.

A proposta é responder aqui dúvidas que julgamos ser comuns a muitos profissionais. Veja as escolhidas desta edição:

consultoria

Mario, Gerente – PA: Vou ser desligado este mês e alguns amigos me disseram para contratar um headhunter para conseguir um novo emprego. Porém, estou confuso, pois me falam também de coaching, ouplacement, recolocação. Qual a diferença entre eles?

MSARH: Olá Mario. Esta dúvida é muito comum aos profissionais que não estiveram expostos a situações de desligamento. Esclareço abaixo:

Headhunters – A função de um “caçador de talentos” é encontrar o candidato certo para a empresa contratante e somente nesta situação a atuação será proativa. Ou seja, não está em sua missão encontrar um emprego para cada candidato que contata a empresa de recrutamento.

Coaching – Em uma definição muito ampla, seu propósito é potencializar o nível de atuação do profissional no trabalho, apoiado nas competências, visão de futuro e vocações. Visa ainda assessorar o profissional no redirecionamento de metas mais condizentes com suas reais expectativas a curto/médio e longo prazo.

Outplacement – Seu objetivo é recolocar o profissional desligado no mercado de trabalho, auxiliando-o a refazer seu currículo, orientando seu networking, com foco na busca do novo emprego. O Consultor de Outplacement tem uma atuação proativa no auxilio de identificação de novas oportunidades.

Workshops e Orientação a Empregabilidade – Seu foco é assessorar profissionais em disponibilidade, refletindo sobre expectativas e competências, atuando fortemente no fortalecimento da visão crítica de sua carreira, apoiado em técnicas de análise de mercado.

Clara, Coordenadora – MG: Quando participo de processos seletivos, tenho resistência a responder a algumas perguntas que me parecem muito pessoais. Preciso responder perguntas que me deixam desconfortável?

MSARH: O recrutador experiente, dependendo das exigências da vaga, pode ser levado a elaborar perguntas mais profundas e pessoais. Exemplo disso são perguntas sobre as relações interpessoais na empresa, questões pessoais impeditivas de mobilidade geográfica, visão de futuro profissional e pessoal, pretensão salarial, entre outros assuntos. A transparência percebida pelo recrutador, durante a entrevista, pode agregar valor na avaliação final. Portanto é importante sim responder às perguntas, mas de forma que não seja fruto de imposição mas de esclarecimento, assim não se sentirá em situação de desconforto.

Mateus, Superintendente – RJ: Posso ter mais de um currículo para posições diferentes?

MSA: Não há nada de errado em ter diferentes versões do seu currículo, desde que tudo o que você descrever seja verdadeiro. Mas cuidado, ter foco é fundamental para não confundir o mercado.

.

Se você tem uma dúvida sobre Carreira e gostaria de vê-la abordada no Blog da MSA, envie e-mail para carreira@msarh.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Be Sociable, Share!

Deixe uma resposta