Autoridade para todos com a Holocracia

Um termo recente no mundo corporativo vem chamando a atenção, principalmente pelo conceito que representa. A Holocracia é um método de gestão que retira o convencional sistema de poder hierárquico e distribui a autoridade a todos os funcionários, que passam a ter papéis executados autonomamente, e não cargos. De acordo com o criador do termo, Brian Robertson, Holocracia é uma “nova tecnologia social, a forma como humanos se mostram e interagem”.

Em um sistema holocrático, adotado, em geral, por empresas tidas como de vanguarda em termos de gestão, ONGs e startups, há times (chamados de círculos) auto-organizados aos quais são dados papéis. Cabe a eles decidir, internamente, qual é a melhor forma de desenvolvê-los. Estes círculos, embora autônomos, são interconectados. A ideia é estabelecer um novo padrão em que todos participam da gestão da empresa, cada um com o seu papel e suas responsabilidades, gerenciando ativamente a parte do processo que lhe cabe, cobrando resultados e sendo cobrado pelos resultados que deve gerar.

Alguns equívocos sobre o conceito de Holocracia costumam ocorrer, como a ideia de que o sistema não é hierárquico. O site oficial da Holocracia explica que um círculo mais “baixo” está sempre ligado a um “superior” e há pelo menos duas pessoas que pertencem a ambos – e também tomam decisões sobre os dois. As duas são escolhidas por meio de votação: uma pelos integrantes do círculo “inferior” e a outra pelos do “superior”. Independentemente do nível ou do assunto em que os círculos são focados, cada um deles é livre para criar as suas próprias políticas e decisões, mas deve fazer o possível para cumprir as metas propostas pelo círculo superior.

Segundo uma matéria da Exame, como ponto positivo, especialistas afirmam que a Holocracia coloca cada funcionário em evidência dentro da companhia. Ele recebe poder, é convidado a tomar decisões, a ser criativo, independente e agir com transparência. Mas um desafio apontado e que possivelmente será enfrentado pelas empresas que se aventurarem pelos caminhos da Holocracia está diretamente ligado ao seu ponto chave: a ausência de cargos. Há uma crença instaurada de que o sucesso é consequência de subir degraus – e eles não existem, ou pelo menos não são tão claros, na Holocracia.

A falta de cargos também pode gerar confusão na cabeça dos recrutadores e dos candidatos a emprego. Se alguém sai de uma empresa que adota a Holocracia e vai procurar trabalho em outra que não adota, ele não sabe exatamente a que cargo pode concorrer.

Por fim, fazer chefes de empresas compreenderem que eles não têm mais o poder de decisão também é apontada como uma tarefa complicada. Segundo Brian Robertson, criador da Holocracia, essa é uma das partes mais interessantes de seu trabalho. “E, do outro lado, lembrar os demais que o processo de governança garante a você a responsabilidade e a autoridade de tomar essa decisão; ela é sua, e não é função do seu chefe te dizer o que fazer”, escreve o consultor no site oficial da teoria.

E você, acha que o conceito pode ser aplicado a qualquer tipo de empresa?

.

______________________________________________________________________________________

MSA RH aborda no blog assuntos de interesse do mercado de trabalho e procura divulgar informações relevantes para os leitores, englobando temas do ambiente corporativo, como carreira, negócios e recursos humanos. É importante frisar que todos os dados e pesquisas apresentados neste espaço são de responsabilidade de fontes confiáveis, como institutos de pesquisa e veículos de comunicação de reconhecimento nacional e internacional.

O objetivo é, portanto, traçar um panorama imparcial sobre o universo profissional e gerar discussões sobre temas atuais e essenciais não só a quem vivencia o meio de RH, como a todos os profissionais brasileiros. Seja bem-vindo e contribua sempre com seus comentários, opiniões e sugestões!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Be Sociable, Share!

One thought on “Autoridade para todos com a Holocracia

  1. Acredito que a tendência de muitas empresas é adotar o sistema holocrático, em especial as empresas startups ou empresa junior. Entretanto, algumas empresas mais antigas e tradicionais, provavelmente, não migrarão para a nova dinâmica de relacionamento profissional.

Deixe uma resposta


× seis = 18